27cc de mau humor bidestilado intravenoso

terça-feira, 18 de março de 2008

LISTEN TO YOUR HEART


:::Oh Me, Oh My - Devendra Banhart:::

Eu admito que resisti bravamente à tentação de resenhar o In Rainbows, do Radiohead, por achar que seria óbvio demais (e realmente seria). Portanto eu decidi começar com uma resenha difícil, já que é um disco difícil, com um nome difícil (repita o nome do disco - Oh Me Oh My... The Way the Goes By the Sun is Setting Dogs Are Dreaming Lovesongs of the Christmas Spirit - 3 vezes bem rápido), tudo engendrado por um artista naturalmente difícil que é esse texano, criado na Venezuela e amante assumido de música brasileira que é o Devendra Banhart.

Pra compor essa resenha eu resolvi me distanciar um pouco das coisas que eu já havia lido sobre o supracitado barbudinho pra num me influenciar, num ficar com aquela cara de "mais do mesmo", ou não parecer algo escrito pelo Nelson Motta.

Enfim, explicações à parte, o disco de 2003 já é aberto com um clima de fogueira, com a pseudo-intro-instrumental "Tick Eats The Olives", seguida pelo dedilhado tenso de "Roots" e, na minha opinião, as duas melhores do disco, "The Charles C. Leary" e "Nice People". Com sua voz anasalada, às vezes semitonada, e seus vibratos declaradamente inspirados em Caetano, Devendra tem conquistado a galera neo-hippie abraçadora de árvores por aí. Se eu descrever cada faixa do disco, você provavelmente já vai ouvir com um certo juízo de valor, então fica mais como recomendação mesmo, uma resenha incompleta, pra num tirar o tesão da surpresa. Mas não deixe de ouvir, mesmo se for pra achar uma bosta mal gravada. Mal gravado é, admito, mas um cara que compra a casa que pertenceu ao Jim Morrison pra montar um estúdio que é, basicamente, um violão, percussões variadas, um microfone e um Tascam (SIM, ele grava em 4 canais), tudo jogado em cima de um tapete, merece, pelo menos, uma primeira audição dedicada.

Em resumo:

Rodrigo Amarante gostou
Rita Lee, Sérgio Dias e Arnaldo Baptista gostaram
Chan Marshall (Cat Power) gostou
EU gostei

Ouça. Se for pra entrar no hype do neofolk, abra seus ouvidos e aprecie algo bem mais diverso e substancioso que Mallu Magalhães...

2 comentários:

Cy. disse...

O poeta da minha vida!
*__*

Cy. disse...

alguém ja te falou que fazer os textos atrasados é não cumprir com a meta estipulada?