27cc de mau humor bidestilado intravenoso

sábado, 19 de abril de 2008

Aliterado afegão

:::et poetera fora de hora:::

Ah aliterado abnegado afegão que a atende
De barba bem boa da bailarina beijar com biquinho
Carrancudo, carece de carinho como um cão coitado
Devia deixar de divagar que deve deleite demais
Exagerado, exacerba os erros
Falando firulas feias, mas fato é
Gosta de gastar com a garota em gentis agrados geralmente ingratos
Hesitante horrores, hoje há de
Irritar igual invariavelmente irradia ira aos inimigos
Jacta-se que já jogaste muito joio à jovem jacente
Languidamente lançada ao seu lado, de olhos luzidios
Mas meu amigo, a memória é má...
Não negligencie a namorada
Outrora obsecraste em oaristos, hoje ora obscenidades
Porém pedes, pachorrento, o pão do perdão e um pinguinho de paz
Queria que a querida não questionasse?
RESPOSTA ERRADA, rabugento rapsodo do rock and roll
Se soubesse que seria escorraçada, sua sereia escaparia sem sentir
Toda traição e toque torpe, toda trupe de tétricos, tetérrimos tratamentos
Ufane-a uma única e ululante
Vez e verá que voltam as viagens de véspera, os vôos e assovios, os seus versos de
Chuva, sem choro, chegará em seus chamegos e...

Zonza, zzzZZZzzz...

...zzzZZZzzz...

6 comentários:

Anônimo disse...

A memória é má, meu amigo. Ela compila essas constatações em bloquinhos pesados, longe das aliterações que tornam tudo quase que a mesma coisa.
A repetição leva ao sublime, e é isso que tuas palavras desenham. É isso e o teu amor.

disse...

PROFISSÃO DE FÉ

Meu verso quero enxuto mas sonoro
levando na cantiga essa alegria
colhida no compasso que decoro
com pés de vento soltos na harmonia.

Na dança das palavras me enamoro
prossigo passional na melodia
amante da metáfora em meus poros
já vou vagando em vasta arritmia .

No vôo aliterado sigo o rumo
dos mares mais remotos navegados
e em faias de catraias me consumo.

É meu rito subscrito e bem firmado
sem o temor do velho e seu resumo
num eterno retorno renovado.

Lex disse...

Poutissi! Vc gastou pra um mês!! Tô de cara!

Anônimo disse...

Oscar Wilde é mto bom msm!

Mas esse seu.. Sem comentarios! Foda!

Renata Pace disse...

Nossa!
Eu não tenho nem palavras pra comentar esse "Aliterado afegão".
Você comentou que estava fazendo esse poema né?!Mas eu nem imaginei que estivesse tão sublime (plageando a Ju)..
Você é incrível!
(babando aqui,heheh)

junquera, r. disse...

Simplesmente o máximo!
Com tecnica, seu poema é um primor. Com estilo próprio e muita criatividade, é um exemplo de poesia de qualidade dentre os "assassinametos" literários que circulam pela blogosfera!